3 de mar de 2017

Oi, quem é?

Ontem eu decidi apagar seu número. Não ajuda muito, porque eu ainda o sei de cor, mas me fiz esquecer e isso é tudo que importa agora. Não tô querendo acompanhar seu status nem viajar nas tuas fotos, principalmente naquelas que eu apareço refletida no teu óculos espelhado. Na minha cabeça, isso não muda o fato de que cê tá presente em cada pensamento louco e bobo do meu dia, mas eu vou me convencendo de que isso tudo é passado, e quem sabe uma hora realmente passa. Fato é que se você chamar eu ainda volto. Pior é que você sabe disso e de um jeito ou de outro tá me deixando vulnerável. Pro bem ou pro mal, tu sabe que eu não tenho o dom de esquecer o que já foi. Sabe também que nunca cumpro minhas promessas. Talvez por isso, o nosso futuro é sempre tão incerto e difícil de se ver. Pensei que seria bom a gente se reencontrar só pra colocar em dia tudo aquilo que a gente sabe que combina. Você ainda lembra? Não tem problema se na sexta tu fugiu de casa e passou a noite fora. Algumas coisas são justificáveis, assim como o wi-fi que eu tô conectada agora. Vamos combinar assim: sem perguntas. Só nós dois no silêncio dos próprios gemidos. Depois eu anoto teu número de novo e você me fala seu nome.

Nenhum comentário:

Postar um comentário