31 de dez de 2016

De vez em quando, a gente não precisa passar pelos doze trabalhos de Hércules para encontrar alguém que mexa com a gente. Tampouco precisamos nos submeter a noites mal dormidas, comunicação com ruído, dúvidas que viram úlceras e relações conturbadas que não entregam de primeira o que está para acontecer. Talvez seja sorte, mas acontece. Acontece do universo nos apresentar a alguém sem complicações com quem nossos horários batem, nossos gostos se complementem, nossas histórias se convidem para jantar. Rola menos apreensão, menos pressão, menos necessidade de estar junto em dias de semana em que ambos têm compromissos. Você vai pra casa dele uma vez e, quando vê, já tem um pijama guardado na gaveta. O porteiro já libera a tua entrada, você já sabe o tipo de vinho ideal para levar. O problema é que a gente se assusta com isso. Vimos muitos filmes mostrando os obstáculos que existem antes do amor chegar. Vimos montanhas de gelo e montanhas russas emocionais que tornam a coisa toda tórrida e emocionante. Vimos receitas e mais receitas de como nos comportar enquanto estamos conhecendo alguém, justamente para que nada saia errado do caminho que o enredo deveria tomar. Vimos tanta coisa, que nos esquecemos que o amor funciona diferente para cada pessoa. Daí, num belo dia, a gente acorda com alguém que nunca imaginou conhecer do nosso lado. Ele não preenche todas as exigências, você também não preenche as dele, ele não é lá tudo aquilo que você viu nos clipes da MTV – nem você é. Não existe essa pressão de ser perfeito, essa necessidade de ter romantismo até o último fio de cabelo. Não precisa sofrer nem colocar mil empecilhos no caminho para entender que isso é amor. De vez em quando, o amor vem fácil. E fica fácil também. As coisas funcionam e você tá feliz, não tá? Pode ser esse o motivo pelo qual nós nos assustamos: porque a gente esperou a vida inteira por um amor difícil para contar nas telas de cinema. E quando chega um amor bonito, embalado pra dois, a gente percebe que ele cabe mesmo é na TV da sala. Com carinho, companhia e afeto de sobra, diferente do que nós nos acostumamos a esperar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário