22 de jun de 2016

Ainda é amor


Já tive amores que duraram meses, já tive amores que duraram alguns anos, já tive amores que nem sequer saíram do peito, que nem cheguei a expressar direito. Dos amores que amei, um dos mais fortes foi o que te dei. A gente não tinha essa coisa de viver cada dia como se fosse o último ou algo do tipo. Nosso amor era tranquilo, e isso era o que mais me fazia querer estar contigo. Nós não precisávamos de grandes aventuras juntos pra reafirmar nosso amor a cada dia, semana ou mês. Não que não tivéssemos nossas aventuras, porque você lembra bem das coisas que fizemos juntos, dos lugares que fomos e das experiências malucas que vivenciamos. Mas a questão é que sabíamos valorizar cada pequeno momento que tínhamos juntos, e era isso que me fazia enxergar o quão forte era o nosso amor. Você me fez sentir um "amor novo", diferente de tudo o que já havia sentindo antes. Você conseguiu a incrível façanha de roubar meu coração logo no nosso primeiro contato. Também me deixou sem palavras depois do primeiro beijo e com cara de bobo depois do primeiro "eu te amo". E nada disso estava nos meus planos. Eu nem sequer imaginava encontrar alguém feito você em meio àquela bagunça que era a minha vida.  Você sempre será especial pra mim. Porque você foi a única que eu amei até a hora da despedida – ou além, porque por mais que, às vezes, me negue a acreditar nisso, talvez eu ainda te ame. Nosso amor não se desgastou com os vários outros. A vida insistiu e tivemos que seguir caminhos diferentes. E isso ainda dói um pouco. Nosso amor é o único, de tantos outros que tive, que talvez ainda não tenha deixado de ser amor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário