8 de out de 2015

Eu tentei te esquecer

Eu tentei, juro que tentei, inclusive, tento todos os dias não lembrar você. Eu abro os olhos logo cedo e peço a Deus pra que o meu pensamento não seja seu, eu rezo pra que eu não dirija o caminho todo procurando você em todo cabelo preto que eu vejo. Quando a porta do elevador se abre, eu torço pra que não sejam seus aqueles olhos me encaram. Enquanto espero as horas passarem, me pego lembrando de como o tempo voava quando estávamos juntos. Eu já tenho outra, você deve saber, ela é perfeita, se preocupa com detalhes que você não se importava, faz as unhas toda semana, lava o cabelo com aquele shampoo que eu gosto e não tem alergia dos perfumes que eu dei. Ao contrário de você, ela não me liga de hora em hora pra saber com quem estou ou onde vou, ao contrário de você, ela não se importa com quem eu converso, muito menos me impede de sair na sexta a noite com os amigos, ela não briga se esqueço a mensagem de boa noite e no domingo de manhã está sempre atarefada com coisas da faculdade. Ela não tem nada que eu reclamava em você, e aí percebi que amava mesmo os defeitos. Sabe aquela dobrinha que você tem na barriga? Ela não tem, é chapada e definida, o bumbum é duro e os seios maiores que o seu, ela vive na academia, tem um corpo de fazer inveja, mas sabe, eu tiro a roupa dela querendo ver você, não sinto aquele calafrio ao tocar o corpo dela, porque ele não se arrepia como o seu, ela não senta como você e muito menos geme tão gostoso quanto você, eu gozo e ela vira pro lado, não sorri como você, nem gruda o corpo no meu, nunca me beijou suado, nem passou a língua pelo meu pescoço como você fazia. Que droga, cara! Isso era uma declaração de que estou vivendo bem sem você, mas não estou, você tem seus erros, mas os seus acertos são feitos pra mim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário