2 de ago de 2015

Joga comigo

Pra onde é que você vai enquanto me beija? Me pergunto isso toda vez que nossos lábios se afastam e seus olhos permanecem fechados. Sua boca sorri lentamente e é fácil sentir meu coração e meu corpo reagirem. As vezes sensual, outras vezes apenas lindo. Não sei explicar os efeitos que as reações do teu corpo me causam. Sua respiração quente na minha nuca é excitante. Sua respiração mansa aos quatro ventos é doce. Tem hora que teus olhos apertados me gelam a barriga, outra hora tua boca semi aberta me faz rir. De vez em sempre tu morde os lábios e meu instinto de caçador me deixa prestes a te devorar, mas então tu sorri de lado e tudo que eu sou capaz de fazer é te beijar a testa. Eu fico entre o penhasco e a caverna. De um lado, uma queda sem fim, do outro, uma escuridão imprevisível. Contigo é sempre assim. Oito ou oitenta. Quente ou gelado. Amor ou ódio. Tudo dois lados da mesma moeda. Me deixa jogar. Sinto que independente do resultado, com você estou sempre ganhando.

Nenhum comentário:

Postar um comentário