11 de jul de 2015

Luta diária

Todos os dias, logo que abro os olhos, inicio minha luta diária para não te querer. Para não desejar te encontrar na cozinha, preparando o café da manhã. Não imaginar o barulho da água caindo do chuveiro e molhando seu corpo. Luto contra a vontade de pisar num pé de meia jogado próximo a cama, e contra a mania de te procurar do lado esquerdo do meu colchão. Como sempre, tu não fica. Se levanta e sai antes que eu acorde. Cata as roupas espalhadas pelo chão, pega o sapato com as mãos e vai. A blusa social desabotoada, a calça jeans surrada e o cinto aberto. Coloca as meias, me olha sem calma e parte. Essa cena se repete quase todas as noites. Já decorei todos os passos pelo quarto. Tudo porquê te vejo levantar. Sinto quando o calor do seu corpo deixa o meu, posso ouvir o barulho da sua respiração se distanciando, mas o seu cheiro fica e a sensação do seu toque também não vai embora. Eu luto todos os dias contra a vontade de me apaixonar por você, mas não dá, até a sua ausência me prende.

Nenhum comentário:

Postar um comentário