14 de jun de 2016

Partes juntas


Se eu soubesse que o amor era isso tudo, teria pulado minha vida direto pra parte em que te conhecia. Teria pressionado o "avançar” no controle da vida e partia logo pro abraço. Pro teu abraço. Mas como nem tudo acontece como e quando a gente quer é preciso conhecer o lado amargo para aprender a valorizar o sabor do doce. E já sei que eu não seria o mesmo se não tivesse provado o sabor de viver contigo. É tudo meio louco, mas até parece que eu me guardei esse tempo todo só para viver isso. Parece que a vida foi deixando a delícia de ser um do outro para agora, justamente quando se saberia aproveitar mais desse fato. A gente descobre que relacionamento não é estar com alguém que aceite tudo. Onde tudo é aceito, os bons sentimentos perdem espaço. Primordial é beijar qualidades, abraçar defeitos e encarar o que vier. Isso, sim, é parceria. Desconfio, então, que só tinha de ser com você. Mesmo. Tinha de ser o seu sorriso ao abrir a porta do carro, tinha de ser o seu perfume, tinha de ser a sua presença na sala vendo novela ou assistindo um seriado — até sem dizer nada mesmo, só por estar ali. Tinha de ser você deitada no meu colo ou estirada no sofá. Tinha de ser contigo um monte de outras coisas. Todas essas coisas que, agora, só fazem sentido contigo. Das aventuras inéditas aos momentos vividos aos repetecos, com você tudo parece natural, como se fôssemos uma parte separada do outro. Parte finalmente encontrada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário