11 de set de 2015

Ainda sonho com a segunda chance

Saiba, garota, que você foi a melhor transa da minha vida. Cada penetração me deixava arrepiado. Todas as vezes em que transamos no banho, fizemos amor pela manhã ou fodemos madrugada adentro. Deitados, em pé, sentados. De lado, de costas, de quatro. Com você, eu aprendi a não ter vergonha de sentir prazer, de gemer mais alto, de romantizar o sexo, de sentir tesão. O melhor oral que já recebi, a melhor palmada que já dei. Entre suor e leves puxões de cabelo, uma pausa para beijos apaixonados e olhos nos olhos que quase faziam gozar antes do previsto. Você no meu colo era o paraíso ao alcance das mãos. Em pouco tempo, sua cama se tornou o melhor lugar do mundo. Não importava mais nada -“foda-se a vida lá fora”- eu só queria sentir seu corpo nu no meu. Você tinha a mistura perfeita de amante dominadora e menina frágil. Sua voz doce pela manhã me acordando com café na cama era delicioso e contraditório quando comparada com a mulher decidida, sexy e tarada que estava comigo entre lençóis na noite anterior. Era tudo tão natural, e ao mesmo tempo assustador, só sei que hoje sinto falta do que eramos. Por medo de me envolver, eu te perdi.

Nenhum comentário:

Postar um comentário